5 Ferramentas para melhorar a comunicação interna na sua empresa

Você já trabalhou em vários projetos ao mesmo tempo e teve a sensação que as informações começaram a se perder e passou a ter muito ruído na comunicação?

Se você já passou por isso, saiba que não está sozinho, muitas empresas que trabalham com projetos simultâneos passam por essa dificuldade e as ações para reverter esse quadro podem ser mais simples e eficazes do que você imagina.

Aqui na Nano Incub trabalhamos com vários projetos em nossa timeline, entre projetos para clientes, produtos próprios e projetos em parceria. Além de serem projetos diferentes, são para clientes e produtos diferentes, desde sites até softwares web e aplicativos.

Não existe uma receita mágica que vai solucionar todos os seus problemas relacionados a comunicação na sua empresa, o que existe são análises, testes e ferramentas para que você e seu time esteja o mais alinhado possível.

Entenda como a comunicação funciona com o seu time

Reunião equipe Nano Incub

Entender como funciona a comunicação com seu time é o primeiro passo para que todos falem a mesma linguagem, entendam onde estão e qual o rumo a ser tomado. Hoje temos uma overdose de canais de comunicação, como WhatsApp, Messenger, Telegram, Slack, Rocket Chat, email, telefone e mais uma enxurrada de meios de comunicação.

O problema disso é quando não há um canal definido para que as coisas relacionadas ao trabalho as informações acabam se perdendo ou sendo pulverizadas em diversos canais, com isso encontrar as informações leva tanto tempo e dá tanto trabalho que o mais comum de acontecer é ficar perguntando novamente ou buscar a informação novamente gerando um outro problema, onde tarefas que eram para serem feitas acabam se perdendo ou pelo fato de precisarem repetir uma informação, ela pode ser interpretada de uma forma diferente da sua forma real.

Busque dividir em dois canais a comunicação com sua equipe

Comunicação Nano Incub

1 – Esse canal será 100% dedicado para trabalho onde terá itens relacionados à projetos ou tarefas para que ali só tenham assuntos desse nível.

2 – Um canal mais descontraído (descontraído não é sinônimo de um grupão onde só se falam besteiras e mandam fotos de memes e gatinhos engraçados ou fofos), onde será o happy hour ou eventos extra empresariais você fala no outro canal.

Quer saber como dividimos a comunicação aqui na Nano Incub? Vamos lá:

Canal para trabalho:

Slack

É uma ferramenta incrível, onde você cria canais, adiciona pessoas e pode centralizar a comunicação em um único lugar. Utilizamos o Slack com o seguinte Workflow:

Cada canal se refere a um projeto, com isso centralizamos no canal ideias, dúvidas sobre o projeto, apresentações, revisões de conteúdo, atualizações, links úteis entre outras coisas.

Trello

Usamos o Trello para centralizar as tarefas do dia a dia. Fazemos alinhamentos constantes e o Trello nos ajuda a centralizar em um lugar o que deve ser feito durante a semana.

Ziptime

O Ziptime é um micro CRM (desenvolvido por nós) focado em gestão de prospectos, nos ajudando a centralizar a comunicação com quem estamos negociando, ajudando o time a ficar inteirado sobre quais os projetos que tem mais chance de fechar negócio.

Google Drive

O Google Drive é nossa ferramenta para compartilhamento de arquivos, assim compartilhamos o que é preciso que o time tenha acesso em um único local.

Quando o Google Drive é utilizado por muitas pessoas, a tendência é que os arquivos comecem a ficar desorganizados, que é o que estamos passando nesse momento. A forma que encontramos para solucionar esse problema foi desenhar uma estrutura o mais simples possível junto com o time, e criarmos fluxos para que os arquivos fiquem fáceis de serem encontrados e armazenados.

*Utilizamos também e-mail para comunicação com cliente e um sistema interno para gestão de demandas de projetos.

Canal para assuntos mais descontraídos:

WhatsApp

Mantemos um grupo para toda a empresa, alguns grupos por área de atuação e com alguns clientes para tornar a comunicação mais fácil para tirar dúvidas entre outras coisas.

O WhatsApp funciona muito bem para assuntos e notificações rápidas.

Comunicação foi e sempre será um desafio, pois é algo que está em constante mudança conforme o tempo passa, são novos hábitos que surgem, novas gerações e assim a comunicação tem de estar alinhada com esse cenário, para que assim as pessoas possam estar cada vez mais sintonizadas dentro das empresas.

Gostou do texto? Conta pra gente como é a comunicação na sua empresa. 🙂

Pagerank de sites! O PageRank do Google acabou?

Recentemente ocorreu um fato que abalou o mundo dos profissionais de SEO, pois o gigante das buscas “Google” optou por não revelar mais o pagerank dos sites.

Se você trabalha com SEO deve saber o quão importante é o PageRank de cada site analisado. Tanto por análises interna como externas (concorrentes).

Caso ainda tenha dúvidas sobre o tema, leia nosso artigo sobre “O que é pagerank“.

Mas o PageRank acabou de vez?

Podemos ver na imagem acima que nem mesmo no blog oficial do Google para Webmaster, o PageRank não sai do 0, ou seja, não exibe mais esse dado de nenhum site.

Você já deve ter percebido que nenhuma das extenções de navegadores ou nem mesmo as ferramentas de cálculo de PagaRank funcionam mais.

Isso devido a uma atualização no Google anunciada no dia 18 de abril de 2016 dizendo que o PageRank deixou de ser exibido publicamente.

Mas não se preocupe, o PageRank não acabou!

O Google apenas decidiu por não mostrar mais os seus dados públicamente, pois estava sofrendo muito com usuários que tentavam burlar o rankeamento de sites com técnicas de Black Hat.

As alternativas…

Nenhuma ferramenta de pagerank funciona atualmente, porém você pode optar por algumas ferramentas que também possuem um algoritmo próprioe muito parecido com o PageRank do Google.

Vou lhes apresentar 3 ótimas ferramentas:

  1. MOZ
  2. Majestic SEO
  3. Ahrefs

A primeira alternativa é a ferramenta da empresa MOZ.

Alternativa 1 – MOZ

A MOZ entrou no mercado de SEO em 2004 para criar ferramentas que ajudem as pessoas a otimizarem seus sites para os mecanismos de busca, desde então vem aprimorando suas ferramentas.

Eles possuem um pagerank próprio parecido com o do Google. Sua ferramenta além de mostrar o pagerank do domínio analisado, também mostra o pagerank da página que está sendo analisada.

Faça uma análise gratuita no site da Moz: Ferramenta de análise de backlinks.

Lembrando que as consultas free no site da MOZ são limitadas, você só poderá fazer 5 consultas por dia no plano free.

Outra alternativa seria instalar o plugin da MOZ em seu navegador (Apenas para Google Chrome).

Alternativa 2 – Majestic SEO

A Majestic SEO também é considerada uma das empresas líderes em ferramentas para análises de SEO e é extremamente útil para análises de link.

Confira as ferramentas para SEO da Majestic

E você também pode instalar a extenção do Majestic em seu navegador (disponível para Google Chrome ou Firefox).

Alternativa 3 – Ahrefs

A Ahrefs também é uma ferramenta completa de SEO que também permite acompanhar todos os seus backlinks.

Conclusão

O PageRank não acabou, se acalme rsrs.

O Google apenas deixou de exibir seus dados publicamente por conta de muitas técnicas de black hat, o que fazia com que alguns sites ganhassem posições de maneira incorreta e injusta com quem pratica a arte do SEO.

Agora o jeito vai ser analizar detalhadamente os backlinks e outros fatores de SEO que ajudam a aumentar a autoridade de seus sites.

Tudo que você deve saber sobre a nova atualização do Google #MobileMadness

A nova atualização no Google promete impactar drasticamente nos acessos de sites que não possuem versão adaptável com dispositivos móveis.

Essa é uma notícia que vem percorrendo os maiores blogs e portais (relacionados a buscas orgânicas) do mundo todo.

Essa repercussão está sendo imensa, pois o próprio Google além de anunciar a atualização Mobile Friendly em seu algoritmo (em 26/02/2015), no seu blog central para webmaster, ele também espalhou essa notícia por vários outros canais (brasileiros, e em outras partes do mundo sejam eles no YouTube e/ou blogs no Blogspot).

O “Mobile Friendly” (Compatível com dispositivos móveis) como é chamado a nova atualização, entrará em vigor no dia 21 de abril.

Esta nova atualização promete ser uma das maiores da história do buscador, por afetar drasticamente todos os sites que não possuem nenhuma versão ou não seja adaptável a dispositivos móveis.

E esta decisão foi tomada por milhares de experts que estudam diariamente como e o que pode ser melhorado na experiência dos usuários das buscas.

A constante evolução das buscas (por dentro do Google)

Para entender melhor como é realizado o trabalho do buscador, veja um pequeno vídeo (legendado) que mostra em detalhes qual é a função do mesmo.

Como mostra no vídeo acima, a intenção real deste buscador é exibir as melhores informações, da melhor maneira e no menor tempo possível para que o usuário encontre o que realmente precisa no momento da busca.

Saiba mais sobre como funcionam as pesquisas no Google e fique “Por dentro da pesquisa“.

Agora vamos entender melhor sobre essa atualização em seu algoritmo. Falarei sobre os principais pontos que devem ser analisados nesta nova fase de busca móvel.

Quem será afetado nos resultados

Em geral todos os sites que não possuem versão mobile serão afetados nos resultados de buscas, afetando indiretamente na entrada de contatos e vendas nesses sites, que podem ser:

  • Institucionais;
  • E-commerce;
  • Celebridades;
  • Industriais;
  • Comerciais;
  • Entre outros.

Se o seu site ainda não contém uma versão adaptável a dispositivos móveis como celulares, smartphones, tablets ou Feature Phones, possivelmente suas classificações nas SERPs (página de resultados de buscas) perderão muitas posições.

Na internet existem sites que possuem milhares de acessos orgânicos (vindo de sites de buscas como o Google), e dependem desses acessos para pagar suas contas e manter seu negócio online. O grande problema, é que se o site não for exibido corretamente para o usuário de um dispositivo móvel, infelizmente seu número de acesso orgânico despencará.

A intenção do momento é exibir resultados mais satisfatórios aos usuários que utilizam dispositivos móveis, e isso inclui: letras com fontes maiores, imagens que ocupam um maior espaço na tela para que seja mais legível,  dessa forma o usuário não precisa dar Zoom na tela.

Quem serão os beneficiados pela atualização

Agora se olharmos do outro lado da moeda, os sites que tiverem uma versão adaptável antes que a atualização ocorra, com certeza terão grandes ganhos em seus acessos.

Essa conclusão pode ser tirada a partir do seguinte aspecto: Você deve ter muitos concorrentes que não possuem versão mobile ou um site adaptável.

O caixa da sua empresa também pode se beneficiar disso, principalmente se você possui um E-commerce. Com o aumento de acesos em seu site, mais conversões em vendas poderão realizadas.

Mas acesso não é tudo! Veja 10 dicas para vender pela internet.

Além disso, visto que o “Mobile Friendly” é um fator que está sendo acrescentado em seu algoritmo e com isso se você possui ou possuir um site compatível, irá ter alguns pontinhos a mais no julgamento de classificação nas pesquisas (principalmente em questão à experiência do usuário).

 

Por que o gigante das buscas deseja priorizar sites mobiles

Baseado no conceito de que o maior buscador do mundo trabalha diariamente em constantes mudanças que melhorem a experiência de seus usuários, eles tem como obrigação acompanhar as tendências e hábitos de pesquisas mundiais.

Uma tendência que chamou muito a atenção do Google, é que da utilização de dispositivos móveis está crescendo descontroladamente.

O crescimento de usuários que navegam por dispositivos móveis foi tão grande (pesquisa do CETIC.br calculou 106% de crescimento em dois anos) que chegou a ultrapassar o número de acessos dos usuários em Desktop (computadores) de 2014 para 2015.

Já que a maioria dos usuários que acessam a internet provém de dispositivos móveis, por que não aprimorar os algoritmos e forçar as pessoas a criarem sites compatíveis com esses dispositivos, melhorando assim a experiência de cada usuário.

 

Webmaster, calma o Google também pensa em vocês

Caso você já tenha uma equipe que trabalha para você, aconselho que indique algumas excelentes fontes de informações para que eles se atualizem também e aprimore o seu site para uma melhor experiência mobile.

Citarei algumas fontes que o próprio Google disponibiliza para os Webmasters de todo o mundo.

Série de Hangouts

Uma campanha foi criada para que os Webmasters se familiarizem com essa mudança e entendam o que o Google irá considerar a partir do dia 21/04.

Imagem ilustrativa (O Diogo não se parece com esse cara rsrs)

A série é apresentada por Diogo Botelho (Responsável pela equipe de Search Quality do Google). Confira a lista completa dos Hangouts abaixo que foram gravados e estão disponível no canal do Google para seu negócio:

  1. Apresentação para PMEs: Otimize sua estratégia online e seu desempenho na busca
  2. Conheça as ferramentas: PageSpeed Insights, teste de compatibilidade com dispositivos móveis, facilidade de uso em dispositivos móveis
  3. Melhore a visualização: Viewports, zoom e plugins
  4. Concentre-se no usuário: Pontos de toque, margens e tamanhos de fonte
  5. Configure corretamente: Redirecionamento e URLs canônicos

Para saber ainda mais sobre este assunto basta pesquisar na internet pela hashtag #MobileMadness e caso queira contribuir também com materiais e dicas para a campanha basta publicar algo com essa Hashtag.

Você também pode procurar dicas por #MobileFriendly.

3 dicas para verificar se seu site é compatível com dispositivos móveis

Confira abaixo três diferentes maneiras para identificar se seu site já está ou não compatível com dispositivos móveis.

Dica 1 – Identifique a tag Para Mobile

Faça uma busca pelo seu site em um dispositivo móvel e verifique se exibe a tag “Para mobile” no resultado.

Camtura de tela do exemplo do próprio Google

Na imagem acima você tem um exemplo de como irá aparecer o resultado de um site que seja compatível com dispositivos móveis. Lembrando que essa tag não é exibida em buscas via Desktop.

Caso o seu site não exiba a etiqueta “Para Mobile”, certifique-se de que seu site atende aos critérios requisitados pelo Googlebot.

Dica 2 – Faça o teste de compatibilidade com dispositivos móveis

O Google também criou uma ferramenta gratuita que faz um teste de compatibilidade em seu site rapidamente.

Caso seu site já esteja compatível, ele irá mostrar uma mensagem em destaque sinalizando o resultado.

Aprovado no teste do Google – Captura de tela

Caso contrário ele também exibirá uma mensagem em destaque, mas dessa vez será uma mensagem não tão boa.

Reprovado no teste do Google- Captura de tela

Conforme você pode ver na imagem acima, para ajuda-lo ele mostrará o que está incorreto e deve ser corrigido.

Realize o teste de compatibilidade com dispositivos móveis

Conheça os 3 tipos de sites para dispositivos móveis reconhecidos pelo Google

  1. Web design responsivo (Recomendado pelo Google)
  2. Exibição dinâmica
  3. URLs separados

Cada uma dessas configurações de sites móveis possuem diferentes vantagens perante o buscador. Veja abaixo uma captura de tela comparando esses três métodos.

A opção 1 (Sites responsivos) é a recomendada pelo buscador e com certeza quem estiver com uma versão dessa sairá na frente nos resultados de busca.

Conclusão

Ter um site que seja exibido corretamente em dispositivos móveis, não é mais uma alternativa, mas sim uma obrigação para quem deseja aparecer nas primeiras páginas do Google.

E essa mudança com certeza fará com que o principal beneficiado seja o próprio visitante, pois a sua experiência com certeza será muito melhor em um site que contém textos fáceis de ler (legível de fato sem ter que dar aquele zoom chato), links mais fáceis de serem clicados (com um bom espaçamento) e imagens mais legíveis que proporcionam uma melhor visualização em dispositivos móveis do que em um site que dá trabalho para o usuário se localizar, ler informações ou navegar entre as páginas.

E isso vai muito além, há outras regras que só tendem a melhorar a aparência, funcionalidade e facilidade de utilização em seu Website.

Preciso cadastrar meu site no Google para aparecer nos resultados?

Existem muitas pessoas por aí que ainda não sabem a resposta para esta pergunta, decidi então escrever nesse novo post se é ou não preciso cadastrar seu site no Google para aparecer nas páginas de resultados.

O Google atualmente é de longe o maior mecanismo de busca do planeta, e com isso a cada dia aumenta mais o interesse das pessoas em aparecer nos resultados de busca desse site sem gastar dinheiro com isso. Isso é conhecido pelos profissionais de Marketing Digital como “Busca Orgânica”.

Mais como eu faço para aparecer nos resultados orgânicos, Eu preciso realizar algum cadastro no Google?

Não, você não precisa cadastrar seu site no Google.

Mas se preferir você também pode cadastrar o seu site no Google através deste link. Mas não é preciso.

Para cadastrar o seu site manualmente, você só precisa digitar a URL do seu site (incluindo o prefixo http://) no campo pedido, e também é de sua escolha adicionar palavras-chave ou comentários que descrevam o seu site. Veja abaixo como é essa página:

Atenção!

O Google não tem uma previsão totalmente definida do período ou garantia de que sua página irá aparecer nos resultados de busca.

Existem várias formas de fazer com que o seu site apareça nos resultados orgânicos do buscador.

Como aparecer nos resultados orgânicos do Google?

Primeiramente você precisa entender que o site do www.google.com tem por finalidade principal exibir todos as páginas da Internet, e para isso conta com o seu indexador (crawler) chamado Googlebot.

O Googlebot tem o serviço de rastrear todas as páginas existentes na internet no mínimo de prazo possível, normalmente demora de 1 a 5 dias, mas dependendo no tempo de envio e principalmente da varredura do Google, o processo completo pode demorar de uma a quatro semanas. A não ser que essas páginas o impeçam de fazer essa varredura em seu diretório (em alguma página de seu site), a única forma de impedir que o googlebot rastreie seu site, é através do documento robots.txt, mas não iremos entrar nesse assunto agora.

Ou seja, se a sua página está na internet há algum tempo, ela também está no Google.

Para verificar se as páginas de seu site estão indexadas no Google basta você digitar no buscador o seguinte comando “site:seusite.com.br“, veja na imagem abaixo:

Entendendo melhor a página de resultados

A página de resultados do maior site de buscas do mundo se resume em três campos, cada um com sua determinada função para que o usuário escolha a melhor opção para o seu problema.

1 – Título da página

O Título da página é o principal local dos resultados, o Google exibe exatamente o que está no título de sua página (tag title), porém tem uma limitação de caracteres, essa limitação varia às vezes, mas recomendamos que procure sempre escrever seus títulos com até 56 caracteres.

O título de sua página deve ser muito bem planejado e escrito, pois é ele que vai chamar mais a atenção de seu leitor.

2 – URL da página

Abaixo do título temos a URL da página que também é essencial para uma análise do leitor, com certeza as URLs amigáveis (elas definem o conteúdo, o que facilita para os robôs e usuários) terão maiores cliques, pois o leitor não vai clicar em uma URL desconhecida.

3 – Descrição da página

Na descrição da página, é onde o Google captura a sua Meta description, onde devem ser inseridas as informações para chamar a atenção e despertar o interesse do leitor nos resultados da busca: Convença o leitor a entrar na sua página.

Como aparecer nas primeiras páginas?

Para aparecer nas primeiras páginas, você deve otimizar cada uma das páginas de seu site e para otimizá-las você deve aprender sobre a principal técnica utilizada por profissionais de marketing digital: O famoso SEO (Search Engine Optimization).

Em um próximo artigo abordaremos mais sobre esse assunto.

O que acharam desse artigo, aprenderam a cadastrar seu site no Google?

Ou melhor, entenderam que vocês não precisam cadastrar seu site no Google, pois o seu papel é deixar o conteúdo de seu site otimizado para os mecanismos de busca e que são eles que indexam seu site em suas busca?!

Deixe sua opinião ou dúvida nos comentários abaixo, e até o próximo artigo.