07 Dicas para tirar sua ideia do papel e montar uma startup de sucesso

Sempre tive o sonho de empreender e com o tempo fui adquirindo cada vez mais coragem e força para enfrentar os desafios que apareciam em minha frente.

Ao longo de minha caminhada, entre erros e acertos, pude descobrir alguns hacks infalíveis para tirar uma ideia do papel e criar uma startup de sucesso, e decidi escrever este artigo para você que está iniciando sua jornada.

Meu objetivo é ajudar você a sair da inércia de suas ideias, assim como evitar alguns erros básicos que eu mesmo já cometi.

Continue lendo para ter acesso a 7 dicas poderosas para iniciar sua empreitada no mundo das startups.

Ideias de Startups que acabaram promovendo o tema

Nos últimos anos temos visto o tema “startups” em grande evidência na mídia e com isso estamos tendo um grande aumento no número de “Ideias novas surgindo” a cada dia.

Podemos dizer que esse aumento pelas buscas do desenvolvimento de novas Startups tem alguns grandes “culpados”.

Grandes cases que temos em vista atualmente como Uber, Ifood entre outras tantas que poderíamos citar, tem estimulado milhares de jovens empreendedores a pensar em soluções inovadoras que possam resolver os inúmeros problemas e desafios que enfrentamos no dia a dia e dessa forma resultar em uma grande startup de sucesso.

Nós, como seres humanos, temos a incrível capacidade de adaptação, não importa qual seja a situação ou cenário vivenciado e é exatamente esta habilidade que impacta diretamente na forma como algumas vezes lidamos com os nossos problemas.

Muitas vezes, quando nos deparamos com um problema, a primeira coisa que vem à nossa mente é “Como eu vou resolver isso agora?”, e ao invés de buscarmos a solução perfeita para aquilo damos prioridade para encontrar um atalho, um caminho mais simples, algo rápido, barato e prático que possa resolver a situação naquele momento.

Mesmo sabendo que essa solução não é a ideal e definitiva, acabamos fazendo-a mesmo assim, pois sabemos que na correria do dia a dia precisamos considerar diversos outros fatores muito importantes, como tempo e dinheiro. E vida que segue!

A lógica de pensamento acima é a mesma aplicada ao conceito de MVP (Mínimo Produto Viável ou em inglês Minimum Viable Product) muito utilizado por startups para validarem suas ideias e modelos de negócio. Guarde este conceito!

Cuidado com o perfeccionismo ao iniciar sua ideia!

Existem muitas ideias brilhantes por aí, mas que não são colocadas em prática porque esperamos criar a solução perfeita para colocá-la no mercado.

Esse é um dos maiores erros que podemos cometer, pois isso exige muito tempo (de desenvolvimento) e dinheiro investido e enquanto o empreendedor está focado em criar a solução perfeita, outras pessoas estão tendo a mesma ideia e criando seus MVP’s para testar se aquilo realmente resolve um problema e agrega valor na vida das pessoas que a utilizam.

Imagine investir vários meses de trabalho (e muita grana) numa plataforma completa e cheia de funcionalidades e pouco tempo depois de lançar a plataforma você descobre que metade delas não foi utilizada pelo seu público-alvo, que não agregou valor algum para seu cliente e que não trouxe retorno algum para seu negócio.

Isso significa que você desperdiçou inúmeros recursos preciosos como tempo, energia e dinheiro, em que você poderia ter focado em outras atividades mais importantes e que poderiam trazer melhores resultados para você e seus clientes.

E como evitar isso?

A resposta é, VALIDAÇÃO DA IDEIA (guarde também este conceito).

A validação consiste em conversar com os players do mercado em que pretende atuar e com as pessoas que possivelmente usariam sua solução para saber se o problema que você está propondo resolver é considerado um problema também para todos eles, e, além disso, entender o tamanho dessa dor, o quanto isso impacta na vida deles e o que eles estariam dispostos a fazer para se livrarem deste problema.

O processo de validação pode ser feito de diversas formas como:

  • Através de entrevistas por telefone;
  • Questionários online;
  • Enquetes em redes sociais;
  • Reuniões;
  • Entre tantos outros modos.

Seu processo de validação deve ser capaz de responder às seguintes perguntas:

  1. Há um problema? Pra quem?
  2. É possível criar uma solução para isso?
  3. Há pessoas que enxergam valor e estão dispostas a pagar por isso?

Podemos dividir o processo de validação basicamente em duas etapas:

Validação de Hipóteses

As hipóteses nada mais são do que as suas ideias (o famoso achismo) ou seja:

  • Aquilo que você acha que é um problema,
  • o público que você acha que usaria sua plataforma,
  • o valor que você acha que seus clientes pagariam para usar sua plataforma,
  • as funcionalidades que você acha que seriam úteis em sua plataforma e que resolveria o problema.

Perceba que aqui não há certezas e você está considerando apenas os seus “achismos”.

É por isso que antes mesmo de você criar a primeira versão da sua plataforma, você deve fazer a validação destas suas hipóteses para só então ter a certeza de qual caminho seguir. Defina uma amostra de pessoas para participar destas entrevistas (recomendamos no mínimo 100 pessoas), escolha as perguntas certas de modo que você obtenha as respostas que deseja receber, e defina também a porcentagem de respostas recebidas que será suficiente para você considerar a hipótese validada. Veja um exemplo abaixo:

Minha Hipótese 1 (problema): As pessoas não gostam de pegar fila para pagar sua (s) conta (s).

Pergunta: Você utilizaria um método de pagamento online para fugir das filas em bancos e demais estabelecimentos, quando você precisar pagar sua (s) conta (s)?

Resultado esperado: 70% de respostas SIM

Somente após realizar este processo de validação e encontrar as respostas para seus “achismos”, é hora de criar seu MVP e definir seu modelo de negócio.

Validação da Solução

Esta etapa é uma validação prática da sua solução (plataforma + modelo de negócio), e é neste momento que você saberá se as funcionalidades que você desenvolveu são suficientes para resolver o problema, se o valor que está cobrando é o mais adequado, se a plataforma está atendendo as necessidades do seu público, entre outras coisas. Isso poderá ser medido pelos seus indicadores de sucesso (também conhecido como KPI = Key Performance Indicator) que deverão ser definidos e utilizados como base para análise de desempenho do seu negócio. Os feedbacks de seus clientes e a procura pela sua solução ajudarão você a saber se está no caminho certo, ou se precisa corrigir sua rota para chegar ao destino desejado.

Agora que você já sabe os primeiros e principais passos para criar sua startup, vamos listar abaixo algumas dicas especiais para ajudar você a tirar sua ideia do papel e transformá-la em um negócio de sucesso:

1 – Pesquise muito antes de criar sua startup

Entre no Google e tente descobrir se já existem soluções prontas no mercado que já estão resolvendo o problema que você está propondo resolver. Se não houver, procure validar bastante as hipóteses, pois pode ser que o que você acha que é um problema, talvez não seja considerado um problema muito relevante para o seu mercado e seu público-alvo escolhidos. Se encontrar concorrentes, procure entender como é a plataforma deles, como funciona e qual o modelo de negócio, e procure identificar os prós e contras de cada um deles, pois servirão de base para criar seus pontos fortes e estratégias de diferenciação dos seus concorrentes.

2 – Dimensionar o seu mercado e público-alvo

É muito importante ter uma visão bem definida sobre seu mercado e seu público-alvo. Quanto ao mercado, você precisa saber o(s) segmento(s) que deseja atuar, a receita gerada por estes segmentos anualmente e o impacto no PIB nacional, a quantidade de empresas existentes dentro dos nichos escolhidos e como estão distribuídas geograficamente pelo país, além da legislação aplicada a eles. Quanto ao público, é essencial definir a (s) persona (s) que sua startup irá atender, que nada mais é do que o perfil do seu usuário, como: idade, gênero, onde mora, escolaridade, seus hábitos e comportamentos, hobbies, etc. Tente descobrir também a quantidade de pessoas que sua solução poderá atingir.

3 – Pense grande

Startups precisam ser escaláveis, ou seja, sua solução precisa ser facilmente replicada em outras localidades, de modo a expandir para outras cidades, regiões, estados e países. Por isso, ao fazer suas validações, converse com pessoas de várias cidades, regiões e estados, pois em cada lugar você provavelmente encontrará situações específicas e comportamentos diferentes, tanto do mercado quanto do público-alvo.

4 – Criar um time autossuficiente

Normalmente o maior desafio das startups é ter um time que seja capaz de andar com as próprias pernas. É extremamente raro uma startup que consiga ter sucesso possuindo apenas uma pessoa fazendo tudo sozinha. Times de 3 a 4 pessoas costumam apresentar ótimos resultados, e as principais competências e habilidades para o time são: tecnologia, marketing, finanças, administração, gestão e planejamento. Tenha pelo menos 1 programador / desenvolvedor no seu time, pois do contrário será muito difícil tirar sua ideia do papel e viabilizar o seu negócio (a não ser que você tenha muito dinheiro e possa terceirizar o desenvolvimento de toda a plataforma e sua manutenção constante com uma software house e/ou agência digital).

5 – Converse com seus potenciais clientes e parceiros

Essas conversas funcionam como parte do processo inicial de validação. Procure ouvir o que estas pessoas sentem em relação ao problema identificado, as soluções que elas já buscaram para tentar resolver, e principalmente como são suas rotinas. Isso fará toda a diferença quando for criar seu questionário de validação e até mesmo na concepção do seu modelo de negócio.

6 – Acompanhe seu cliente

Dê aos seus clientes (principalmente para os adotantes iniciais) todo o suporte necessário, até que tenha curado suas dores de forma plena. Isso permitirá você corrigir as possíveis falhas em sua plataforma e ajustar seu modelo de negócio, antes de iniciar a sua escalada para novos patamares.

7 – Peça feedbacks constantemente

Converse sempre com seu cliente, aplique questionários de satisfação ou ligue para saber como está seu nível de satisfação com sua solução. Não faça nada em sua plataforma sem antes considerar todas as observações e sugestões de melhorias feitas pelos seus clientes. Toda startup deve basear sua solução nas dores dos clientes, e não naquilo que você acha que vai funcionar para ele (por isso é obrigatório validar sempre suas ideias). Você vai descobrir que os feedbacks serão seus melhores amigos nesta longa jornada que sua startup poderá percorrer.

 

Por último, saiba que o mundo das startups não é tão glamoroso quanto a mídia faz parecer. Se você pesquisar na internet notícias sobre startups, eu tenho certeza que encontrará inúmeras matérias falando sobre startups que receberam milhares (e até mesmo milhões) de reais de investidores, sobre startups que estão tendo sucesso com suas tecnologias revolucionárias, sobre grandes empresas e instituições que estão buscando startups e empreendedores para investir e acelerar, entre vários outros artigos. Tudo isso nos faz acreditar que tudo conspira a favor dos startupeiros e que não é difícil ter sucesso com uma boa ideia. Não se deixe enganar pelos holofotes da fama!

A realidade é bem diferente para as mais de 10 mil startups que existem no Brasil, segundo levantamento realizado pela ABStartups (Associação Brasileira de Startups) no final de 2018. Ninguém fala sobre o que está por trás de todo esse glamour e da enxurrada de investidores, incubadoras e aceleradoras que estão ávidos por encontrar o próximo unicórnio e poderem lucrar muito daqui alguns anos. Aliás, raramente você conseguirá investimento sem ao menos ter um MVP funcional.

Haja rápido, erre depressa, aprenda sempre e transpire muito. Criar uma startup exige muita mão na massa, coragem, planejamento, atitude e resiliência para suportar os momentos de dificuldade, que representam quase toda a jornada de sucesso de um negócio.

Bônus!!!

Ferramentas recomendadas para validação e construção do seu modelo de negócio:

Validation Board – https://www.leanstartupmachine.com/validationboard/

Business Model Canvas – http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/quadro-de-modelo-de-negocios-para-criar-recriar-e-inovar,a6df0cc7f4217410VgnVCM2000003c74010aRCRD

Compartilhe com sua rede favorita!
  • 18
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    18
    Shares